Total de visualizações de página

segunda-feira, 18 de fevereiro de 2013

PARA VENCER O INIMIGO


“Mas esta casta não se expele senão por meio de oração e jejum.” (Mt. 17:21)

Jesus disse que há castas de espíritos que só saem daqueles que eles possuem mediante a prática do jejum e da oração.

Jejum e Oração são sempre armas fortes para manter afastado o inimigo e derrubar fortalezas.
Quando Deus coloca em seu coração que certo pedido, precisa ser acompanhado de jejum, é importante que você escute.
Jejuar é um meio de negar a si mesmo, de deixar de fazer aquilo que mais gosta para colocar Deus em primeiro lugar em sua vida.
Jejuar e abstinência ou abstenção total ou parcial de alimentação em determinados dias, por penitência ou prescrição religiosa ou médica.
Estado de quem não come desde o dia anterior.

O diabo odeia isso porque sabe que é um meio seguro de resistir-lhe e derrotá-lo.
Jejum e oração enfraquecem o poder das forças espirituais do mal no reino das trevas, não permitindo que o diabo aja em nossas vidas e em nossas mentes.

O jejum e a oração levam a nossa carne à submissão, privando-a de fazer o que quer com a nossa vontade.

POR QUE É IMPORTANTE? A BÍBLIA ENSINA:

O principal motivo do jejum é dar atenção especial às necessidades da alma.
É buscar uma comunhão mais íntima com Deus, em estado de humildade e submissão à Sua excelsa e soberana vontade.
Não é sacrifício em troca de bênçãos.
É um momento em que devemos dirigir as nossas energias espirituais para uma comunicação mais íntima com Deus, confissão de nossos pecados e um desejo sincero de achegarmos a Deus.
Consagrando mais as nossas vidas através da oração.
“Ainda assim, agora mesmo, diz o SENHOR: Convertei-vos a mim de todo o vosso coração; e isso com jejuns, com choro e com pranto.” (Jl. 2:12)

EXEMPLOS DE COMO É O JEJUM BÍBLICO:

  • BUSCAR A ORIENTAÇÃO DE DEUS
 O jejum é uma prática religiosa adotada desde a antiguidade.
A primeira vez que o verbo jejuar está registrado na Bíblia, encontra-se em Juízes.
“Então, todos os filhos de Israel, todo o povo, subiram, e vieram a Betel, e choraram, e estiveram ali perante o SENHOR, e jejuaram aquele dia até à tarde; e, perante o SENHOR, ofereceram holocaustos e ofertas pacíficas.” (Jz. 20:26)
E refere-se a um jejum que o povo de Israel fez na busca por uma orientação e direção de Deus durante uma guerra entre as tribos irmãs de Israel e Benjamin, impulsionada pela morte de um levita israelita.

  • ARREPENDIMENTO
 O povo de Israel, exortado por Samuel, se derramou perante o Senhor.
“Congregaram-se em Mispa, tiraram água e a derramaram perante o SENHOR; jejuaram aquele dia e ali disseram: Pecamos contra o SENHOR. E Samuel julgou os filhos de Israel em Mispa.” (I Sm. 7:6)
O povo jejuou e se propôs a retirar do meio de si os deuses estranhos Baal e Astarote e voltar-se novamente para o Senhor.
Baal era considerado o deus do trovão e das chuvas, por esta razão acreditavam que ele controlava a vegetação e a agricultura.
Astarote era adorada como a deusa do amor e da guerra, na Babilônia chamada de Istar e na Grécia de Afrodite.
Desta forma, Samuel foi o instrumento usado por Deus para exortar o povo ao arrependimento dos pecados e a uma mudança de atitude.

  • CONFORTO ESPIRITUAL E RENOVO
 A nação de Israel estava frente a frente com o desastre: uma multidão de moabitas e amonitas pretendia guerrear contra o rei Josafá.
“Então, Josafá teve medo e se pôs a buscar ao SENHOR; e apregoou jejum em todo o Judá.” (II Cr. 20:3)
Tremendo e temendo, o rei foi buscar a Deus e apregoou um jejum em todo o reino naquele dia. Em sua oração o rei:

Ø  Reconheceu que só de Deus vem a salvação;
Ø  Procurou as misericórdias de Deus porque o seu povo também era o povo de Deus;
Ø  Reconheceu que Deus estava no controle de tudo;
Ø  Louvou e glorificou ao Senhor e encontrou conforto em suas promessas;
Ø  Confessou total dependência do Senhor para alcançar livramento.

  • ANTES DE REALIZAR ALGO
 A jornada de Esdras e dos que o acompanhavam rumo a Jerusalém e relatada no livro de Esdras.
“Então, apregoei ali um jejum junto ao rio Aava, para nos humilharmos perante o nosso Deus, para lhe pedirmos jornada feliz para nós, para nossos filhos e para tudo o que era nosso.” (Ed. 8:21)

A jornada foi interrompida quando ele percebeu a ausência de levitas 2 entre o grupo.
Os levitas ajudavam os sacerdotes nos serviços do Tabernáculo e, depois, do Templo.
Esdras e o povo viajaram aproximadamente 1440 quilômetros a pé por um território perigoso e difícil que durou aproximadamente quatro meses.
Sob estas circunstâncias Esdras apregoou um jejum como sinal de humilhação diante de Deus.
Todos oraram para que Deus lhes guiasse pelo caminho com segurança.

Este líder nos ensina que quando colocamos Deus em 1º lugar, estamos nos preparando bem para qualquer situação desafiadora que surgir.

  • INTERCESSÃO
 Neemias lideraria o terceiro grupo de exilados com destino a Jerusalém.
Neemias recebeu a notícia da situação do seu povo e da calamidade na qual se encontrava a sua cidade natal:

Ø  A cidade estava indefesa e sem muros;
Ø  As pessoas estavam na miséria;
Ø  Haviam perdido seu próprio idioma, rei, exército e identidade;
Ø  Não tinham um líder.

Neemias após ouvir esta triste notícia sentou-se, chorou, lamentou por alguns dias, jejuou e orou perante o Senhor, clamando perdão pelos pecados cometidos por seu povo.
“Tendo eu ouvido estas palavras, assentei-me, e chorei, e lamentei por alguns dias; e estive jejuando e orando perante o Deus dos céus.” (Ne. 1:4)

  • FORTALECIMENTO
 O nosso Senhor Jesus Cristo refere-se a um outro jejum, de FORTALECIMENTO ESPIRITUAL, para enfrentar certa casta de demônios, que só pode ser expulsa à força de muita oração e jejum.
“Mas esta casta não se expele senão por meio de oração e jejum.” (Mt. 17:21)

O JEJUM QUE NÃO AGRADA A DEUS:

O falso jejum é aquele envolto num ritual religioso, que aparenta devoção.
O falso jejum é vivido por aqueles que se esquecem de exercitar a misericórdia, a compaixão, o amor aos oprimidos.
Tais pessoas continuam no seu estilo de vida pecaminoso, guardando em seu coração pecados não perdoados.
“Por que jejuamos nós, e tu não atentas para isso? Por que afligimos a nossa alma, e tu não o levas em conta? Eis que, no dia em que jejuais, cuidais dos vossos próprios interesses e exigis que se faça todo o vosso trabalho.” (Is. 58:3).

O JEJUM PARA DEUS:

“Fala a todo o povo desta terra e aos sacerdotes: Quando jejuastes e pranteastes, no quinto e no sétimo mês, durante estes setenta anos, acaso, foi para mim que jejuastes, com efeito, para mim?” (Zc. 7:5)

O próprio Deus nos adverte em relação aos jejuns que fazemos.
Quase todos os jejuns que estamos habituados a fazer são feitos para nós mesmos.
Para pedir alguma coisa a Deus, para agradecer por alguma graça alcançada, para interceder por alguma causa ou pessoa, para se fortalecer para enfrentar os embates da vida diária, etc.
Todos os jejuns feitos em causas pessoais não são feitos especialmente para Deus.

O jejum feito exclusivamente para Deus é aquele em que nos privamos, por um tempo, de alguma coisa ou de alimentação, apenas em adoração ao Deus Todo Poderoso.
Esse é para Ele, os outros são para nós mesmos.

QUANDO DEVEMOS JEJUAR?

A Bíblia nos fala de circunstâncias específicas onde o jejum era apropriado.
Circunstâncias estas que podem acontecer em nossas vidas hoje, nos momentos para:

  • BUSCAR A DIREÇÃO E ORIENTAÇÃO DE DEUS;
  • O ARREPENDIMENTO;
  • BUSCAR CONFORTO E RENOVO ESPIRITUAL;
  • PEDIR A DIREÇÃO DE DEUS ANTES DE REALIZAR ALGO;
  • EXERCITAR A INTERCESSÃO PELA IGREJA, PELO POVO, PELA PÁTRIA,
  • BUSCAR FORTALECIMENTO ESPIRITUAL.

O QUE DEVEMOS FAZER ENQUANTO JEJUAMOS?

Orar: "Voltei o rosto ao Senhor Deus, para o buscar com oração e súplicas, com jejum, pano de saco e cinza." (Dn. 9:3)

Confessar pecados: "No dia vinte e quatro deste mês, se ajuntaram os filhos de Israel com jejum e pano de saco e traziam terra sobre si. Os da linhagem de Israel se apartaram de todos os estranhos, puseram-se em pé e fizeram confissão dos seus pecados e das iniqüidades de seus pais." (Ne. 9:1-2)

Ler as Sagradas Escrituras: A oração comunica os nossos pensamentos a Deus e Ele se comunica conosco através da Sua Bendita e Santa Palavra, a Bíblia Sagrada.
"Entra, pois, tu e, do rolo que escreveste, segundo o que eu ditei, lê todas as palavras do SENHOR, diante do povo, na Casa do SENHOR, no dia de jejum; e também as lerás diante de todos os de Judá que vêm das suas cidades." (Jr. 36:6)

Não devemos demonstrar tristeza ou desânimo: "Tu, porém, quando jejuares, unge a cabeça e lava o rosto, com o fim de não parecer aos homens que jejuas, e sim ao teu Pai, em secreto; e teu Pai, que vê em secreto, te recompensará." (Mt. 6:17-18)

BENEFÍCIOS DO JEJUM E DA ORAÇÃO:

  • Aumenta o poder do nosso testemunho e das orações;
  • Rompe com as vicissitudes da carne;
  • Renova o espírito de humildade, submissão e comprometimento com Deus;
  • Estimula a obediência e o fervor espiritual;
  • Abre-nos as portas para que Deus estabeleça em nós o Seu grande propósito e a Sua soberana vontade,
  • E sempre aqueles que quiserem sentir e transmitir um fortíssimo impacto do Evangelho estarão envolvidos neste significativo ministério do Jejum e Oração. 
O jejum e a oração destroem as obras carnais e liberam o poder de Deus em você e no momento em que o nível da operação do Espírito fica acima do nível da operação da carne, então recebemos uma nova unção.
Se você quiser aumentar a sua fé e romper barreiras na sua vida, jejue e ore mais para destruir esta casta de incredulidade, além de continuar lendo e ouvindo a Palavra de Deus.
E lembre-se: fé é uma atitude, não um sentimento.

Nenhum comentário:

Postar um comentário